terça-feira, 3 de novembro de 2009

A verdadeira causa

Estranhou aquele homem em sua cama, olhando perdido para o teto. Não, seu marido não lhe pediria para ficar de quatro e muito menos pediria que ela lhe chupasse e talvez ela também não seria ela mesma, não teria gostado da idéia de se submeter a uma posição humilhante e não teria jamais gostado do sabor do sêmen do marido. Casada a tanto tempo com ele, já se acostumara ao tradicional pai e mamãe de final de semana, sem muitos pormenores, ele gozava e ela fingia feliz, porque nas revistas se falavam tanto do tal orgasmo piscológico da mulher que chegou um ponto em que acreditara que, ao ver o marido gozando, poderia gozar em simplesmente saber que ele havia gozado, sem nunca ter experimentado a sensação que sentira. Sorriu envergonhada para o marido que retribuíra o sorriso. Antes mesmo que ela comentasse algo sobre o que lhes ocorrera, o marido já procurava os seus lábios, os que escondia com recato sob os lençoís.

Sorriu para a esposa, que pela primeira vez esboçava o sorriso da mulher mais feliz do mundo. Tentou naquela noite tudo o que sempre quisera e jamais tivera o mínimo de coragem para fazer. Não se importou se a esposa se sentiria ofendida, mandaria ela e seu moralismo de merda para o inferno se fosse necessário. Foi até a cozinha e trouxe para o quarto a garrafa de vodka que comprara. Bebeu metade e a outra jogou sobre o corpo da mulher, que olhava extasiada como se Deus tivesse finalmente ouvido suas preces. Nunca imaginaram, ambos, que houvesse tanta luxúria adormecida em quase 20 anos.

Levantou-se, beijou sua mulher nos lábios ofegantes, abriu a gaveta e tirou o maço de cigarros antes que ela percebesse. Olhava meio amargo pro maço em suas mãos, marlboro vermelho, comprou só porque gostava da cor. Nunca havia fumado, mas por indicação dos amigos, queria experimentar a sensação de fumar um após o sexo. Por indicação do médico, ele não deveria ter comprado esse cigarro, deveria se manter longe do alcool e deles. Esforços físicos também, riscados. Nos dedos contou, sem tudo isso 6 meses, com tudo isso uns 3 meses. Um sopro no coração, mas nem sentia nada ventando dentro dele. A mulher que insistira no check up, achava ele meio desanimado prá tudo, desconfiava que fosse vermes, e agora, com o maço em mãos, sabia que não era. Tentou abrir, puxou o lacre, desdobrou as abas. Estavam lá dispostos 20 cigarros do mais exemplar filtro vermelho. Olhou para baixo da varanda, uns 10 andares, crianças jogando bola sob refletores. Puxou um dos cigarros, mas não conseguia o retirar, tentou mais uma vez sem êxito. 6-3= 3 o que dava 91 dias que perdera em apenas 9 horas, e esse cigarro que não quer sair, e dá umas palmadas no fundo da embalagem, os cigarros caem, ele tenta agarrar algum, perde o equílibrio.

As crianças gritam horrorizadas, o homem nu esborrachado no chão tem um sorriso débil. Entre os dedos, um cigarro que não teve tempo de acender.

Até hoje, a mulher culpa os cigarros, foi por causa deles que ele morreu.

31 comentários:

Rafael disse...

HAUHSUHUHSAUHAUASHUASHSUAHAS

Genial o final, não só de cancêr os cigarros matam

Dan disse...

Ele foi esperto, experimentou o que há de melhor na vida antes da morte certeira.

Rafael disse...

Eu não sei se eu dou risadas ou eu acho mega triste. Ninguém merece morrer no pós sexo com cigarros.

Marcelo Mayer disse...

cigarro literalmente mata
e melhor fingir um orgasmo do que uma dor de cabeça.

Juliano disse...

Ele morreu feliz.!

Beijooos

***MissUniversoPróprio*** disse...

Muito bom! Fiquei imaginando a cara dos guris, vendo um cara caindo, morto e nu, tudo ao mesmo tempo! ;) Obrigada pela visita, viu? Volte sempre que quiser! ;)

=*

Francisco Jamess disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk morri.

(mentira, nem fui eu, ó)

Rodriguez disse...

Costumo ser preguiçoso, mas a cada dia que passa fico mais apaixonado por textos como este, cheio de arte, trizteza e realidade.

Concordo contigo, o filme é demais!

Kátia Ruivo disse...

Coitada dela!! Estou arrasada! Depois que conheceu o que era bom, ficou literalmente chupando o dedo!!!

R.Vinicius disse...

Katrina
- Eu gostei em especial dos detalhes da história e o final. Eu poderia conhecer a história por trás da história? Como surgiu sua idéia?

Abraço.

Dandara disse...

Nada melhor do que morrer depois e antes de orgamos diferentes.

Erica Vittorazzi disse...

Não foram os cigarros.

Foi a Vodka!

Desmanche de Celebridades disse...

De todas as pessoas que interpretaram a minha poesia vc foi a unica que descobriu exatamente o que estava acontecendo na minha vida no momento em que a escrevi. Um amor preso no computador, mas que ainda bem, transcendeu isso. Talvez vc tenha acertado pq nossos blogs são muito parecidos, cheios de textos grandes e discussões mais reflexivas, com protestos e um engajamento maior. Esse blog é o mais parecido com o Desmanche que já encontrei.

Abraços.
Voltarei sempre!

Maria Andrade Vieira disse...

senso de humor implacável

Luh* disse...

AHHAHAHAHAHAHAH
qUE COISA NÉ?!não devria riri, mais ficou muito bom cara!
beijos

Leandro disse...

total
diva tombada.

Felipe A. Carriço disse...

Curti pra caramba seu texto.

Se foi jogado fora, foi no meio dos lixos do meu repertório!

Marcel PH disse...

haha muito bom o final!

Márcio Ahimsa disse...

a vingança do que não foi feito é morrer sob os pés da tardia tentativa de resgatar o que foi perdido...

Beijo.

Daniel disse...

Se deu tempo de fazer tudo o que sempre quis fazer com sua esposa, aquela que ele sempre amou, morreu feliz, pois só quem tem uma relação sexual aberta e muito prazerosa com sua companheira sabe o quanto é bom e o quanto faz bem ao casal.

Adorei!
Beijos

Desmanche de Celebridades disse...

Não é muito fácil lidar com essas situações, mas as vezes, nem sempre é obvio, é mais fácil do que pensamos resolvê-la . As vezes da certo abrir o jogo.
Abraços.

Isa* disse...

haha, preocupação antecipada mata mais que cigarro e qualquer outra coisa! amei o texto, sério!

(:

Phillipe Lima disse...

Viciante!

Desmanche de Celebridades disse...

Entendi.
Então vcs estão juntos, mas longe?
Ou não?

Tailany Costa disse...

Nossa, que conto bom... pelo menos ele morreu feliz e deixou a mulher assim né? E a saudade (tripla depois do que aconteceu)?

Jéssica disse...

não só de cancêr os cigarros matam [2]


Foda, adorei auheaeuhseas

Tatiane Trajano disse...

Hahauahauahauahauahauahauahauha...

Posso dizer?

Ele se FUDEU!

=D

Hauahauauahuha.

Natacia Araújo disse...

kkkk Diria que ela foi fodida.
Cigarro e sexo definitivamente são uma mistura bombástica. rs

priscila disse...

Puts, eu nunca li isso, pqp
gostei mesmo, serio.

[M]. Atahualpa disse...

puta que pariu... que mulher mais azarenta da merda!

Su disse...

texto muito bom!
Mas há que se pensar... ele morreu do cigarro ou do sexo? rs...

bjosss!