segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Do final, não muito longe do começo

Jamais acreditaríamos no final, mas finais existem e finais sempre vão ter algo de triste, algo de perdido, algo de jamais ter chegado ao paraíso e sentir finalmente que tudo valeu a pena. Mas agora eu só sinto os seus abraços cada vez mais distantes dos meus e se eles se encontram, é como se envolvéssemos o nada. Você sente os meus lábios mais frios e mais rígidos, eu sinto o seu coração cada vez mais fechado ás minhas palavras de carinho e eu me sinto cada vez mais falso ao pronunciá-las. Seu corpo vai se tornando cada vez mais seu e o meu corpo vai perdendo cada vez mais o resto do seu, então, a gente começa acreditar mesmo que isso é o final.

Eu não disse que seria, você nunca soube que seria, então vamos pagando esse preço caro que é viver os últimos dias como se eles fossem os primeiros dias: dois estranhos numa tentativa de se conhecerem numa cama enquanto tentam se esquecer do que já viveram com outros, sem nenhum êxito ao passo que precisam se agarrar aos outros ontens, procurando um no outro algo a se amar, algo no que acreditar. Mas encontramos dois corpos cansados e tristes que se repelem no espaço universal de uma cama.

Eu queria que fosse, você sempre quis que tivesse sido, então só nos resta esses pedaços que deixamos para trás, alguns sorrisos, algumas sinceridades,umas lágrimas de felicidade e aquelas surpresas agradáveis. Mas o que ficou, o que nos restou mesmo, foi esses sorrisos falsos e sarcásticos, essas sinceridades sinceras demais, essas lágrimas após brigas intermináveis e essas surpresas desagradáveis.

Eu tentei vencer, você achou que já houvessemos vencido, mas estamos nessa batalha ainda. Fechamos nossos olhos e por instantes, somos novamente tudo o que jamais deveríamos ter deixado de ser, mas então acordamos, não te reconheço e você finge o mesmo e é isso que seria o resumo desse pesadelo que vivemos. Me pergunto como isso foi nos acontecer mas são seus olhos sem maquiagem que me respondem com a mesma pergunta. Só nos restam proclamar o fim, mas o fim do quê, se já ultrapassamos todos os pontos finais e finais felizes que existem?

Mas não acreditamos em finais se ainda estamos não muito longe do começo.

24 comentários:

Julia disse...

É uma merda não acreditar em finais.
Me tocou, fiquei meio sem saber se deixava uma lágrima no cantinho do olho escapar ou não.
É a pior batalha que existe, tentar salvar um relacionamento perdido.

Dan disse...

Ele poderia ter feito as malas e ter ido embora. Mas ficou aquela sensação de que, se ele fosse embora, seria uma batalha em vão, sem lutar nem nada. Essa sim, é a pior batalha que existe

Luna Cortez disse...

no fim, só restam sinceridades sinceras demais, que se tornam munições para intermináveis discursões.

o fim é triste.

Katrina flor, eu não tenh orkut,rs.
mas fiquei curiosa por demais, deixo meu msn, porque pelas letras garrafais urgentes, isso é assunto pra ser tratado logo! rs

luna.cortez@hotmail.com

Beijo.

Marcel PH disse...

As sinceridades sinceras demais, pra muitos, são o começo do fim.

sobrefatalismos disse...

finais sempre tem mesmo algo de perdido, os felizes nao me abalam e,. serah que de fato existem?

Marcelo Mayer disse...

por isso felizes são os que fazem sexo e amor sem contrato. sabem que no final será apenas um "tchau" ou "um até logo, te ligo". oq começa errado, termina errado. oq começa certo, sempre termina errado.

muito bom!

Vinicius disse...

Talvez o grande problema com toda pessoa seja idealizar, ou esperar demais; sempre em um começo, algo interrompe-se, então é certa que sempre haverá um fim para um começo.

Abraço.

Eric R. disse...

Bom não tenho muito o que comentar porque,digamos,que passo por algo meio parecido," um final para um recomeço" algo do tipo.
Mas muito bom texto,palavras certas,uma complexidade gostosa de tentar decifrar e de se colocar em tal cituação.
Onde acaba uma estrada começa outro caminho seja ele de pedras,grama ou asfalto,nem tudo são flores,mas devemos caminhar.
Não sei se vejo um relacionamento perdido,acho que perdida,como ja disseram é a batalha não enfrentada. E a derrota é dificil sim,mas tras ensinamentos para alguém.
Talvez,todo final represente um recomeço.

Beijos:D

Deni Maciel disse...

a unica certeza é o fim.
não acredito nisso,.
xD~
mas tem ocasiões que a melhor saida é o tempo.
parar ele.
sentir o q há de verdade.
e fazer as coisas com certeza e sem arrependimentos dps.!
enfim..
aah hoje é dia do hoteleiro...
hoje ao invés de dar gorgetas ...dê os parabens...
é bm mais baarato. *-*
abraços
ótima semana e obrigado por visitar meu humilde blog.

Juliano disse...

É da natureza humana, que depois do fim, as surpresas desagradáveis se sobressaiam as surpresa agradáveis.

Beijoos Katrina.!

Jéssica disse...

"Fechamos nossos olhos e por instantes, somos novamente tudo o que jamais deveríamos ter deixado de ser, mas então acordamos, não te reconheço e você finge o mesmo e é isso que seria o resumo desse pesadelo que vivemos"

Essa parte me retratou totalmente. Eu adoro demais seu blog. Quando não tenho nada pra fazer fico lendo textos antigos. E vendo os favoritos... Caramba. Você é foda. Sério mesmo.

;**

Mai disse...

Talvez a questão seja que tudo fique claro desde o início. Mas talvez para saber como será, será preciso deixar claro desde o começo o que se quer e o que está valendo. Mas...Parece que no início fazemos de conta que queremos uma coisa bem diferente do que na verdade desejamos e ai andamos pouco da linha de largada.

Beijos e eu já falei que você escreve bem à beça, né?

É pura ironia o nome do teu blog. (risos)

Maria Andrade Vieira disse...

acordar ao lado do re-desconhecido é o fim e o começo. das únicas guerras que todos saem perdedores.

Hneto disse...

Ok, Katrina. Entrevista disponivel no blog. Saudações!

nina rizzi disse...

a separação também é parte de uma história de amor. em algumas pode ser a melhor parte. rsrs..

aiai, não fossem as pontuações e esvaíria sangue...

beijo.

Michelle disse...

Eu acredito tanto em finais que sofro na mesma medida, por eles.

Horrível é constatar que chegamos no fim antes mesmo de nos dar por vencidos, ainda estar em campo mas não ter mais adversários para competir, nem uma causa por qual lutar.

Glauco Guimarães disse...

Pode usar a ilustração. Está nesse endereço ó:

www.glauco.art.br/ilustras/validade_1.jpg

Glauco Guimarães disse...

Pode usar sim katrina. Não é pegadinha! heheheh. Estou autorizando. Coloca o credito se vc quiser, ok? (ja ta assinada msm)

Daniel disse...

Às vezes é melhor ter a coragem de botar um ponto final em algo que não existe mais do que estragar aos poucos o que um dia foi muito bom. E bom saber que muitas vezes uma separação pode fazer com que esse amor renasça das cinzas.

Não tenha medo nunca.
Pois a vida sabe o que faz se você não souber fazer.

Beijos

Glauco Guimarães disse...

Ficou bem legal lá no seu blog, avabei de ver. Se precisar de mais alguma coisa avisa ok? bjs e valeu.

Yasmin Lemke disse...

eu acredito tanto em finais que sofro antecipadamente por eles.
Muito bom texto, retratou com objetividade e coerência um assunto tão difícil.
Gostei muito do seu blog, parabéns.

Desmanche de Celebridades disse...

É o fim da idéia de que o presente e o futuro podem ser vividos ou pensados sem que exista uma relação direta com o passado e as marcas que ele deixou. Mas o que devemos pensar, é que sempre será diferente desse passado, mas que ainda assim pode ser legal
Abraços.

Erica Vittorazzi disse...

Quando não acreditamos nos finais, eles nos atropelam!

wallace disse...

Tinha alguem - não me lembro quem - que dizia que no fim, tudo dá certo. Se não der, é porque provavelmente ainda não chegou ao fim... rs...

bjs!