segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Re-verso.

(Cézanne - Afternoon in Naples with a Black Servant)



Meus lábios tendem a arder nos teus ouvidos em palavras soltas em frases afiadas, não posso me desculpar pela minha natureza de matar qualquer coisa que pulsa violentamente dentro do meu peito. Tento lhe rasgar com minhas pernas para guardar as melhores partes dentro de mim, mas consigo apenas algumas feridas, salgo com meus dedos e provo do sangue das lembranças encontradas. A verdade é que elas doem muito mais em mim do que em você por jamais ter estado presente em nenhuma delas,

provo do meu próprio sangue & é o pior sabor que existe.

25 comentários:

Rafael disse...

Nossa, isso foi um pouco assustador. Me lembrei de Resindent Evil, não sei porque...

Carolina disse...

simplesmente amei *-*

nina rizzi disse...

hm... meus dentes tão rangendo...

Glauco Guimarães disse...

... isso foi tenso!

Wagner Lopes disse...

Começou o ano com um texto bem forte, gostei! =)

Ps.: Cézanne é um dos meus preferidos.

Paulo Jorge Dumaresq disse...

Sempre que provo do meu sangue ponho uma pitada de sal. Fica mais saboroso. Inté.

Adriana Gehlen disse...

Ai, dói saber que sou assim.

te amo katrinis perfeita.

Felipe A. Carriço disse...

Lindo, denso e envolvente.


Desculpe a ausência, mas ficar off por uns dias é muito bom!

HugoCrema disse...

Doeu, na boa.

.justlow disse...

Oi ti achei no blog de uma amiga minha , adorei seu cantinho e gostaria de segui-la, te convido para que venha conhecer meu blog , e me seguir tbem assim poderás ficar antenada com as minha vida meia maluca
bjos da lowkita ;*

Dayne S. disse...

Belo texto ;*

V_ Leal disse...

"um filete de sangue nas gengivas."

Lembrou-me esse trechod e Ana C., que gera em mim uma imagem que não sei onde toca, mas toca.

Apareça: www.entrebocas.blogspot.com

Nadja Reis disse...

Quando só a gente sobra de um relacionamento amoroso,é porque,na verdade,ele nunca houve...



=/

Dandara disse...

Vingança pra dentro, ou falta de amor de fora?

Mai disse...

Forte, Katrina. Mas desce sem arder porque quem já amou sabe que depois de um tsuname, enchente é água mansa. Você recorreu ao sangue isto foi no DNA, célula tronco das paixões.
muito bom!

Maria Fernanda Probst disse...

Deu nó na minha cabeça. Meio intenso, meio doentio. Mas ainda sim, amor?

The Blues Is Alright disse...

Isso me fez lembrar que preciso marcar ginecologista. Obrigada.

Maria Andrade Vieira disse...

começou bem o ano!

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

é tenso, é a dor da ilusão, quando percebemos que estamos sozinhos quando na verdade queremos estar acompanhado machuca.

Natacia Araújo disse...

É porque no fundo todos somos sanguinários envolvidos pelo emocional...

Ferdi disse...

Também achei meio assustador.
Desespero latente e um Cèzanne, wow!

Piie'tra disse...

Provar da propria dor que causa em outras pessoas não deve ser agradavel, saber como eles se sentiram causa culpa e remorço. Fazer o mal e recebe-lo de volta...

Marcel Hartmann disse...

Nossa. Indiferença é foda.

Layra disse...

assustador, medonho, porém intenso e lindo.
adorei.

Marcelo Mayer disse...

estaca, estaca e estaca