quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Singela homenagem aos poetas de merda.

Aos neo parnasianos de merda
que lapidam por horas e horas
seus versinhos de merda
Reverencio Walt Whitman
por ter deixado suas folhas pelo caminho
de Lisboa à Nova York
onde posso tomar um café com o mestre Caiero à tarde
e a noite
encher a cara com o companheiro Ginsberg
e seus parceiros na galeria six
enquanto todos uivam por uma América Abstrata
No meu grito
não há métrica que meça meus sentimentos
e nada rima
com minha verdade
que se esconde nua
pelas avenidas
e se deixa atropelar
vez ou outra
por um sonho acelerado
pelo ritmo das ruas de São Paulo
(que não consegue parar teu sorriso
preso no trânsito das minhas lembranças)

34 comentários:

Rafael disse...

Caralho, só isso a dizer (além de que você é uma puta poeta/escritora)

Marcelo Mayer disse...

obrigado pela singela homenagem! hahahah

fodido!

Natália Corrêa disse...

que sejam poetas de merda
mas sejam poetas.

Maria Andrade Vieira disse...

odeio qm posta o próprio poema no espaço do outro, mas só por exercício de dialogopoesiar, um "vai tomar no cu" aos neoparnasianinhos de mierda:

***
Solte o chicote
a pistola velha
Esse sorriso amarelo
de quem venceu a Guerra
Abaixe a cabeça, o trema
A rima fracassada
Essa métrica encomendada
Tire o luto, ela não morreu
Ela voa, senhor.
Voluptuosa e nua
Cale a boca e ouça e só.

A linguagem não é sua.
***

Acompanho seus escritos mesmo, porque dsconfio q falamos a mesma língua dos bêbados de bar. Um brinde a falcatrua q nos desconstrói. Beijos.

Eu, Thiago Assis disse...

E aos barroquistas também de merda
que vasculham os dicionários
procurando as palavras mais estranhas
achando que elas deixarão os textos mais bonitos.

O mal escrito não tem conserto o/

Eu prefiro um estilo mais moderno,
como o seu.

Juliano disse...

"..não há métrica que meça meus sentimentos
e nada rima
com minha verdade.."

Muito foda.!

Beijooooos

HSLO disse...

Poeta showwwww.


Parabéns.


abraços


Hugo
Nosso-Cotidiano

Ricardo Rodrigues disse...

muito bom... poesia sem rima... eu gosto...

Rene Serafim - "Juninho" disse...

Muito Obrigado.

Francisco Jamess disse...

e eu que rimava, ó. huauhahua

ainda bem que a gente cresce e pára de rimar noite com açoite.

Flor disse...

Obrigada! =) rs

E ah, só consigo pensar em você como um FURACÃO....=)
No bom sentido.

Um beijo.

viacimabue27 disse...

gostei muito. afiadissima.
Semana passada no curso de traduçao poetica tive que ouvir um "poesia nao e' sentimento".
Bela resposta a tua.

Alter Ego disse...

Até eu queria encher a cara com o Ginsberg e todos os Beatniks, ouvindo jazz na vitrola louca do Jack Keroauc contando freneticamente sobre suas viagens alucinantes cruzando o E.U.A

Carol Mioni disse...

Lixo de textos não é o melhor nome pra cá né?! Adorei! Mas quanta revolta no coração!!! Ler HOMENAGEM aos poetas de MERDA foi mais ou menos como ler o título ANARQUISTAS graças a DEUS (Zélia Gatai) pela primeira vez. Choque! rs

Frô Iaiá disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
The Blues Is Alright disse...

Claps.

João disse...

Talvez não passamos de um monte de merda querendo saber quem fede mais. A beleza, outrora, já nasceu.

Jaya disse...

"No meu grito
não há métrica que meça meus sentimentos
e nada rima
com minha verdade
que se esconde nua
pelas avenidas
e se deixa atropelar
vez ou outra
por um sonho acelerado
pelo ritmo das ruas de São Paulo
(que não consegue parar teu sorriso
preso no trânsito das minhas lembranças)".

Onde eu assino, pra tomar pra mim?

Katrina, mulher! Você é poesia, prosa. Proesia. É inteira. Arranca as letras das entranhas. Talvez por isso eu leia com tanta minúcia. Como quem observa algo complexo, e quer sair entendendo o máximo possível. O difícil é querer sair.

Um beijo.

Tô linkando teu lixão, porque eu já tô toda suja, há tempos. Haha.

Tatiane Trajano disse...

Esse foi FODA!
Muito, muito bom!

Clap, clap... Até logo parnasianos!

o/

. disse...

[a uma grama da escuridão, segue o poema no encalçe do homem que se perdeu, noite escura, altas horas, sem saber que fazer com as palavras roubadas do distrito sentimental: fujo ou corro, ou morro, se não sei onde colocar as palavras dentro dessas letras soltas? fujo ou morro, ou finjo que sou poeta, só porque não sei doutras ciências da vida que me expliquem o que é "dentro de mim"? (esconde-te do teu vizinho, que sabe mais de ti, que dos elevadores que te levam até ao primeiro dos andares da vida!)... vai foge e não olhes para trás; finge que a poesia veste o mundo, quando nuas e esburacadas estão as estradas que te levaram a ele! Vai, foge e amaldiçoa a palavra que se esconde, dentro de ti, dentro deste elevador para lado nenhum!]

desculpa tomar o teu espaço, assim... apeteceu improvisar aqui, um pouco, na tua esplanada das letras... é fraco contributo? é o que se arranja de um corpo que há muito enviei para consertar, mas o raio do relojoeiro teima em não me devolver as peças, os ponteiros desta vida!

Um imenso e transtlântico abraço


Leonardo B.
Bizarril
Portugal

. disse...

|só há uma coisa que não choca na roda do mundo, na prosapoesia: a palavra|

Hiorrana disse...

Parnasianismo nunca foi minha escola preferido.
Sem preferi o Barroco e suas controvérsias...

Bjoo

Mågø Mër£Îm disse...

Como sou um mero escrivinhador... num devo ser um de merda, ainda...rs

foi bom vir aqui rs

Ricardo Rodrigues disse...

escrever... revista... cultura pop... interessa a ti?

ricardorrrodrigues@gmail.com

Daiana Costa disse...

Haha! Confesso, fez-me rir, pois claro, indentifiquei-me nessa merda toda!

E não posso deixar de reparar que até tuas mensagens irônicas tem meu gosto, e aprovação.

Fred Pimenta disse...

Putz.

Muito bom. Quando crescer quero escrever assim.

Jaya disse...

Eu...

Eu não tenho orkut.

/prontofalei

Haha.

Msn serve, de repente? Então anota: jayaunderlinevianaarrobahotmail.com

(:

Luna disse...

E eu que nem sei poesia, me encanto.

'No meu grito
não há métrica que meça meus sentimentos'

Não sei rimar, e ainda que poesias não precisem de rimas, eu também não saberia por onde ir.rs

Clap!

p.s.muita modéstia chamar seus textos de lixo flor.

Atreyu disse...

De todos os movimentos o parnasianismo é o que pior me agrada! Eu curto muito o simbolismo e o Naturalismo @@
=*
Eu gosto da tua forma moderna de escrever também! =*

Franzé Oliveira disse...

Estava pensando em chamá-la para visitar meu blog, depois de ler o texto será que devo? rsrsrsr. Muito legal.

Cheiros.

Rafael disse...

Oba, valeu aí. Podiam estipular um feriado, o Dia Do Poeta de Merda, no qual todos iriam parar seu a fazeres pra escrever poemas escrotos, horríveis e mal feitos.
bjs

Felipe A. Carriço disse...

Não pise nos poetas de merda!

Caio Rudá disse...

Nunca pensei que fosse me orgulhar de ser um poeta de merda, muito menos, de ser cantado por alguém.

Isaías disse...

quanto lixo, hein!
por sorte sabemos que do lixo sai o luxo que o luxo vira lixo e tudo isso, de repente, vira poesia...

parabéns!