sábado, 26 de junho de 2010

Avon.

Escondo minhas imperfeições com corretivo
que não me foi apliacado antes
sobre algumas palavras.
Suavizo com o pó compacto, batidas violentas no rosto que não se quebra,
intacto
se encobre ruborizado
vergonha rosa nº 4
o espelho não me deixa mentir
enquanto abro os olhos
máscara transparente
rímel importado de algum lugar
distante
Com o delineador traço um olhar de amor
e te marco com os lábios vermelhos daquele batom do catálogo da avon
uma daquelas paixões vorazes

arrebatadoras

o meu perfume D&G se impregna em seus lençoís
você também
com sua barba feita não me irrita por hoje
sua loção de farmácia
me causa cócegas
e você acha mesmo
que estou rindo
minhas unhas também
não te machucam
por hoje.

Você sabe
eu também

rosto tela em branco
de tudo isso
que a gente se esquece

11 comentários:

Marcel Hartmann disse...

E meu valor de mercado quase cai
Nos meus remendos
Lembranças de agulhas que feriram
(Que me sangraram)
Feridas que enfim
Me podaram.

É um trecho de um texto meu sobre alguém que servia como boneco para outra pessoa. O trecho sozinho tem algo a ver com teu texto. Muito bom, por sinal.

Stella Rodrigues disse...

Penso em você como uma apresentação em um teatro um monologo e você lendo isso, e a plateia não levanta e bate palmas a plateia fica em silencio porque qualquer coisa feita ou qualquer palavra dita estragaria o final disso.

Adriana Gehlen disse...

hahaha
o que seria da gente não fosse essas marcas?

...
compartilho dos mesmos produtos.

Guilherme Navarro disse...

Stella traduziu bem o que eu imaginei dessa postagem.

Mikaele Tavares disse...

Nossa,a maquiagem foi perfeita e o interior também foi bem trabalhado!

JaqueFonseca; disse...

A verdade é que a gente sempre se esconte atrás de sombras, máscarras e corretivos.. Não dá pra ser diferente.

Erica Ferro disse...

Só uma coisa a dizer sobre o seu poema:
GENIAL!

Alex disse...

melhorar n..isso tudo serve para evidenciar.

Otto_M disse...

Katrina, devo confessar que prefiro você na poesia, de onde você parece extrair o que jamais parece possível, como você acabou de fazer. Very good.

Juliana Oliveira disse...

Eu gostei muito, vc tem um estilo muito próprio de escrever. Muito verdadeiro, vlw
Bjus

Picles disse...

uma tela sempre meio manchada

sempre gostei mais dos seus poemas