sexta-feira, 2 de abril de 2010

03:15

Para Carolina, só porque senti saudades


Sinto-me livre para fracassar
(Hilda Hilst)



Desço dos saltos por alguma dignidade, de tanto fingir superioridade, quebraram e fui ao chão. Meu retrato está sobre a cama : os lençoís desarrumados e bitucas de cigarros fumados a dois, eu e suas recordações. Você se esconde entre minhas músicas, ontem era Chico, hoje insiste em ser Caetano. Não consigo te acompanhar mais nessa loucura de viver, e viver o quê, eu me pergunto, olhando para o espelho e revendo estes meu olhos tão cansados de rímel, sombra e pó. Perdi o ritmo, o cardíaco. Bate a toa por qualquer coisa, esse coração. Um dia ele se cansa de mim, aposto todas as fichas nisso.
Eu não queria sentir saudades, mas é ela que me sente, escorro suave pelos meus dedos até o ralo mais próximo. E se mordo os lábios o veneno é doce & a morte parece melhor ainda sob a ótica dos ponteiros.

19 comentários:

C. disse...

Em algum momento, nessa linha tênue que é o passar dos dias, a gente se perdeu.
Nesse exato momento, acabamos de nos achar, outra e outra e outra e mais uma vez.
Nos pequenos detalhes.

Tem coisa que é incondicional ♥
Te amo.

Mai disse...

Interessante...morte e vida... porque a hora perdida ficará pausada nas palavras deste texto.
Indeléveis.

Wevertton disse...

Oii Katrina, estou seguindo seu blog... segue o meu tambem?! Beijos

Marcel Hartmann disse...

Inverteu total, descer dos saltos pra ter dignididade...

gostei afú desse texto

Priscila Carvalho disse...

fechou com chave de ouro o texto: "E se mordo os lábios o veneno é doce"
\o/
fantástico!

Sylvia Araujo disse...

Eu gosto da poesia que escorre da tua prosa.
Beijoca

Lara disse...

Seu texto me lembrou uma coisa: quase sempre me privo de tudo, só para não fracassar.

Dedé disse...

Oi Katrina, obrigada pelo comentário e pela dica que me deu!
Adoeiiii seu blog, agora sou sua lixeira tmb! rs
Beijokas

J. disse...

Não é lixo. É poesia .

Adorei a citação (embora eu não me sinta livre para fracassar) e o texto (e meus olhos também estão cansados).

Beijo.

Improvisos de um louco disse...

gosto dos seus textos.

Maria Vieira disse...

abrindo as portas do post, Hilda Hilst... não tinha como dar errado.

Ju Fuzetto disse...

Hilda Hist, demais!

Lindo espaço!!!
beijo

Daniel disse...

Viver é bem isso o que descreveu.

Me identifiquei com a primeira frase da sua postagem. Tenho me sentido com a cara no chão depois de esperar demais pelas coisas que faço.

beijos

Eu, Thiago Assis disse...

adorei a destreza das palavras, melhor ligadas impossível. e o linguajar escolhido caiu muito bem o tema da solidão, tornando muito mais devastadora.. ótimo texto


www.euthiagoassis.blogspot.com

Ferdi disse...

Você faz minhas palavras parecerem medíocres demais. Maldita.

fjunior disse...

se a vida não fosse assim, como haveria de ser? Pergunto, quase sempre.

dine disse...

Bate a toa por qualquer coisa, esse coração. Um dia ele se cansa de mim, aposto todas as fichas nisso.

o texto todo é lindo...e ao mesmo tenmpo meio triste e me pergunto,devo falar dos sentimentos do texto ou da forma em na qual é escrito?!

***MissUniversoPróprio*** disse...

"Bate a toa por qualquer coisa, esse coração."

O nosso, flor, o nosso.

Gostei daqui, viu? Obrigada pela visita lá no meu Cotidiano.

=**

nath. disse...

É, não dá pra sorrir o ano inteiro.