sexta-feira, 15 de abril de 2011

02:24

Preso
em fotos que não foram tiradas por mim
em eternas poses
das quais jamais haverá um espaço
para esse abraço
esquecido em bancos de praças
das igrejas que nos casaríamos
depois das trocas de bilhetes de ônibus
amassados.

Você se esqueceu de mim
em alguma rodoviária
onde eu sempre perco
todos os itinerários
de volta para casa.





12 comentários:

Adonai disse...

Fotos que trazem ainda assim, trazem saudades.

O gerente disse...

eu acho que metade do povo que circula diariamente numa rodoviaria tambem busca por um destino mais certo. Mesmo aqueles que nao tem o coração partido procuram por um lugar melhor para ir. Belo texto!

Renato Hemesath disse...

E tem situações em que vemos pessoas e nos vemos rodando diante de situações que parecem ter algum destino certo ^^

Ótimo blog, Katrina! abraços

www.cinefreud.com

Nara Sales disse...

Sentimentos eternizados em fotos.

O Impenetrável disse...

muito bonito esse poema. me identifiquei.

fotos que marcam na maméoria o que deveríamos ou não ter.

grande abraço, Katrina.

Hermann disse...

Vagando sem rumo, nas ruas ou nas recordações, chegamos ao lugar onde deveriamos estar.

C. disse...

4:48 foi provavelmente e vou negar até a morte que tenha sido por identificação, o texto mais angustiante que já li.
e agora não sei se esse 2:24 tem a ver mas me embrulhou o estômago e provavelmente eu que ando muito entregue ao medo de me perder.
sei lá.
eu me iludo fácil também
mas gostei bastante apesar da angústia.

irreverente, Eu; disse...

Demais. Como eu queria não ter sido esquecida na rodoviária...

fabricio moraes disse...

procurando um destino sem saber o que procura, caminhando pelos caminhos tentando achar algo mais achar o que ne
eu toh ti seguindo
bjusss

gipicles disse...

também me esqueceram em alguma estação de metrô.

Sandra Botelho disse...

Help...beijossss

Gonzo Sade disse...

Espero encontrar os teus intinerários e destruí-los. Assim, tu atentaria a um trem doido guiado por mim.