terça-feira, 12 de maio de 2009

Último tango.

Y todo a media luz...
que es un brujo el amor,
A media luz los besos,
a media luz los dos.
Y todo a media luz,
crepusculo interior,
Que suave terciopelo
la media luz de amor

(Carlos Gardel- A media luz)
Acordei com um gosto de saudades por entre os lábios.
Sabor de tango a dois, de passos que sempre nos levavam ao quarto no final do último verso de Gardel, que quase sempre já ouviámos embriagados de amor sob os lençois. O vinho que escorria como mel, no paraíso do céu de nossas bocas, se transformando em pequenas declarações de amor tão grandes que mal cabiam em nossa memória, mas cabiam em nossos peitos arfantes.
Fecho meus olhos, lembro-me
Gardel calou-se para que nós ouvíssimos a composição de nossa música,
dos corações sobrepostos, dos sonhos mais rápidos que as emoções, a realidade tão próxima da loucura que escorria de nossos olhares
as pernas que se entrelaçavam, as mãos que se encontravam e se conduziam para além dos lençois, os corpos já tão envoltos de desejo
naquele último tango que dançamos a meia luz
antes que todas as luzes iluminassem e que
você me visse como sou, antes que lhe visse como era.
Acordei, com esse gosto de saudades, amargo, nos lábios
andando por todos os lugares dessa casa onde
Gardel ainda embala os meus fantasmas com seu tango.

8 comentários:

Cleyton disse...

Que lindo. Ah, daria um filme o papo de Santa e Paciência é? bjs

Ferdi disse...

Me identifiquei e teria me deprimido o bastante pra chorar se não o conhecesse agora como ele é.
A minha diferença é que quem nos embalava eram Ben Gibbard e seus amigos, além disso, sempre achei que era verdade.
Até meu último Halloween, enfim..

Caio Neiva disse...

Pior sou eu, que adoro acordar com esse gosto de saudade nos lábios...
Que outros ritmos agora embalem os seus amores! ;)

P.S.: você as vezes parece que quer me fazer chorar com seus textos Katrina! hehehe
Me identifico muito.

Adriana Gehlen disse...

Gardel ainda embala os meus fantasmas com seu tango.

Nadja disse...

Apaixonante!


Mas também muito triste!



rs


bjoss

Marcelo Mayer disse...

eu já disse. espelho!

Aline Romero disse...

Muito bonito. E triste.
Ou seja, bonito e triste, como toda saudade - e todo tango - devem ser.

Ferdi disse...

Ah é? Pois então por lá te procurarei e farei eu mesma isso. (: