quinta-feira, 14 de maio de 2009

Não tenho fome de brioches
minha fome
é de liberdade

E não há Bastilhas suficientes
que possam
aprisionar minh'alma

Paris em chamas
o coração
de Maria Antonieta
em teus olhos
Inflama.

3 comentários:

Nadja disse...

Muito bom!


É um poema,certo?



rs


beijoss

Marcelo Mayer disse...

me lembra enumerações

R. disse...

Surpresa boa te ler em versos assim tão napoleônicos!

Bjs