terça-feira, 10 de março de 2009

O que ainda há.

Ainda carrego o encanto das suas retinas
sobre as minhas pupilas dilatadas
pela noite que ainda não acabou.
Encontro algo mais do seu sorriso
sobre o meu sorriso desorientado
e inacabado, sufocado pelos travesseiros.
Toco a sua pele
sobre a minha pele demarcada
pelos lugares em que você nela esteve.

(Me resta saudades, sobra)

3 comentários:

Caroline Aikawa disse...

Por trás da quarta feira de cinzas e de todo amor que há ou aquele que simplesmente não existe ou se faz existir depois de doses de uísque... ou não.

marvin . disse...

talvez por ser um quase escritor fracassado, me senti a vontade aqui.

volto qualquer hora, com prazer.

beijos, marvin.

JaqueFonseca; disse...

"Nada consigo fazer quando a saudade aperta;
foge-me a insipiração, sinto a alma deserta.
Um vazio se faz em meu peito e de fato eu sinto em meu peito vazio
Me faltando as tuas carícias as noites são longas
e eu sinto mais frio"

Só digo isso para suas pupilas dilatas e sua pele já tocada.