segunda-feira, 23 de março de 2009

Março, mon amour

Andei
sobre trilhos de várias estações até que eu encontrasse alguma que me levasse até você, talvez eu tenha errado, tenha escolhido o caminho mais curto e menos sinuoso e talvez eu tenha encontrado outra pessoa no final dele, mas é março, você poderia dizer que todos os caminhos do mundo me levariam à você e eu digo que todos os caminhos do mundo me separam de você.
Só encontrei outono
encontrei um céu que não se abre em azul e vermelho pelas ruas de São Paulo
(procurando o céu-da-sua-boca)

Sentei numa esquina, uma moeda em mãos, nem cara ou coroa. Dei para um artista nobre, rico com sua música e roupas sujas e sorriso em farrapos, mas ele cantava a nossa canção, aquela que você nunca irá ouvir. Meu coração batendo na cadência da saudade acelerada pela noite em brasas.
[mas eu irei cantar para você, porque eu só preciso de algumas notas e muita inspiração paixão desejo amor & toda a eternidade. Eu vou cantar. É essa a composição de todas as melodias harmoniosas]
Andei
mas ainda é março
ainda é outono
mon amour, ainda é você

4 comentários:

J disse...

Opinião sincera de o que você deve fazer com isso.

Publicar.

Bjos

JaqueFonseca; disse...

Opinião sincera de o que você deve fazer com isso.

Publicar.

Bjos [2]


Muito lindo, deu até um aperto no peito. Foi como se eu sentisse o que você sentiu.

Francisco Jamess disse...

esse músico é aquele do álbum?
que figura.

gostei. o resto é crítica literária.

Junker disse...

Caramba, muito bom!