terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Após o café

Foi o que ele disse, preciso dessa loucura para enlouquecer & então deixar tudo a revelia do destino, talvez, os homens não mais o saibam há tanto tempo que se esqueceram dentro dos seus corpos. Faz sentido, e não houve interrogação na minha frase enquanto ele terminava o café e roubava minhas mãos para escrever algo que contradiga o amor, que não pode ser escrito por não precisar de letras e nunca ser preciso.

A vida é uma escolha estúpida.

6 comentários:

Guilherme Navarro disse...

Simplesmente amei. Li umas 5 vezes seguidas.

Saudade daqui.
Espero que esteja tudo bem, grande beijo!

Fel de gilete disse...

Saudade de ler isso tudo.

Junker disse...

O esquema é tentar ser são dentro da sua insanidade.

vi isso num musical dos anos 80

Daniel disse...

Se deixarmos a revelia do destino, pode ser que sejam estúpidas nossas escolhas... a escolha alheia... a escolha da vida.

A vida tem escolha sobre a gente, quando o livre arbítrio deixa de existir.

Daniel

Marcélia Macidália disse...

o destino a gente faz...Quem sabe a vida deixe de ser uma escolha estúpida?
Amei o espaço. Estou seguindo e vou te acompnahra pelo twitter.
Te convido para conhecer o Bostos e Afins que foi reinaugurado agora depois de uma crise existencial.
Beijos e parabéns pelo blog

Josiana Rezzardi disse...

E bota estúpida nisso, mas poucos têm a coragem de admitir!
Adorei, estou seguindo!