domingo, 11 de julho de 2010

Just let me say who am I *





Caetano me espera eufórico na cama
lençol branco de 1969
esparramado em alguma lembrança em 2010
amor envelhecido nos nossos corpos
como vinho tinto suave.
É tão lírico
pensar assim em nós
em nós
que não se desatam
em promessas.
Perdidos no paraíso
que termina
talvez na próxima canção
linha tênue
entre o seu sorriso e o meu
faixa riscada que se repete
enquanto sabemos que o mundo
é o nosso nome.


* Just let me say who am I - Caetano Veloso em Lost in paradise

16 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Entrei para agradecer a visita ao Leitora e gostei muito daqui.
Voltarei.

Maria Vieira disse...

jovens então o suficiente pra achar que o mundo é o nosso nome.

filomena disse...

g-zuz

Fred Matos disse...

Gostei muito, Katrina.
Beijos

Por que você faz poema? disse...

Queria envelhecer como Caetano, mas tem pressa meus cabelos brancos.

Márcio Bergamini disse...

Lindo lixo!

Márcio Vandré disse...

Paraísos perdidos precisam só de um gole de devaneio para se reconstruirem em nossas mentes.
Eu acho.
Um beijo, Katrina. :)

Cleyton Cabral disse...

Que beleza. =D

Alexandre disse...

Olá Katrina!
Td bem? Obrigado pelo comentário... e fico muito feliz que tenha apreciado...
Voltarei ao seu Blog assim que possível, pois estou numa correria aqui no trabalho, mas prometo a volta...e já sou um seguidor.
Bjs..e obrigado!!!

Ribeiro Pedreira disse...

o paraíso se perdeu em 1969, mas o Caê ainda é intenso, assim como a tua poesia.
sigo!
bjs.

Francisco Jamess disse...

joga lixo em mim ;)

Márcio Ahimsa disse...

estou perdido no paraíso,
marginal e convicto,
um livro aberto e sujo
dentra da minha voracidade,
meus olhos devoram
a carne intensa
daquele corpo nú...
eu ando pela calçada
e sou o cheiro da noite passada
entre uma sombra
e um entremeio de dança,
afogo agora a lembrança
nesse doze anos
e as cinzas do cigarro
apagam essa lembrança parca
de minha face
espantanda diante de um espelho...

Mikaele Tavares disse...

Um copo de vodk resume isso.

Otto_M disse...

Coincidentemente ouvindo Caetano com Ryuichi Sakamoto. Compreendo tuas imagens, sem dúvidas.

Fabiano Vianna disse...

Adoro o Caetano nesta foto como super-herói Tropicalista! O texto é fantástico também! Gostei do blog-lixo!

Talles Machado Horta disse...

Massa, broto.