terça-feira, 28 de abril de 2009

De vermelho e tantas coisas

Vermelho, meus lábios. Paixão que eles desenham sobre teus lábios úmidos de desejo. Batom que escondo no fundo da gaveta, para que eu pouco o use, medida de segurança. Amor na medida certa.

Vermelho vivo que rasga meus lábios em duas pétalas sanguíneas, que mancham teu peito de falsas promessas cometidas em pecado.

Sorriso borrado, vazando pelos contornos da minha boca que devora a sua boca sob os lençóis baratos que nossos corpos encontraram, para que o seu corpo se desmanchasse dentro do meu corpo que te envolve com meus abraços ensurdecedores e minhas pernas que te cortam em pedaços. Pedaços esses que vão se juntando aos meus pedaços e nos tornam completos.

Marcas vermelhas no filtro do cigarro apagado que eu fumei dos teus pulmões. Ainda prefiro os meus, intocáveis, reservados para as noites em que apenas os terei para ficar entre os meus lábios vazios e insones.

Eu sei, ainda terei um cancêr por isso.

9 comentários:

Marcelo Mayer disse...

antes ter um câncer do que um psiquiatra.

Caio Neiva disse...

é o câncer do pecado? Não, acho que é o da paixão!

ℓiiα, ♥ disse...

Se for pra ser feliz, que venha o câncer, senão... Bom, coooorrreee disso! :P

beijos.
amei o blog!

Nadja disse...

''Vermelho vivo que rasga meus lábios em duas pétalas sanguíneas, que mancham teu peito de falsas promessas cometidas em pecado.''

Excelente!!!



Quanto ao cigarro,como diria Anita, personagem de Mário Donato:''viver dá câncer!''

rsrsrs


bjosss

Nasca™ disse...

é que teu vício é sincero.
e em ambos os casos.

'Ainda prefiro os meus, intocáveis'
light's bem light's.

:*

JaqueFonseca; disse...

Ler seus textos me dão vontade de voltar a fumar, de verdade.

disse...

Bitucas de cigarro manchadas de vermelho, faço coleção.

Paixão e câncer alheio, locomotiva sem vagão.

R. disse...

Ao que parece, se esse for o preço, topo o câncer.

Vodka e morfina.

Beijos!

Ferdi disse...

Quão intensas as palavras certas podem ser.
Sexualização de assexuados é algo a se condenar, não o faça novamente, passou.
Um beijo.