segunda-feira, 21 de março de 2011

Requisição atrasada

A atendente dos Correios me odeia
com o seu sobrepeso
de recém nascida mãe
não me intimida com a aridez dos seus dentes
presos em cercas de arames
quando sorri com desdém ao
me renegar a segunda via da fatura das cartas
escondidas nos punhos
royal flash jack
das requisições atrasadas
para serem esquecidas em arquivos
da repartição
da minha vida pública.

Passei no concurso
para uma vida com carimbos e assinaturas de vários setores
a ser arquivada em breve
em Mairiporã.

2 comentários:

Moska de Bar disse...

Porra, nos suburbios costumam-se roubar as caixas de correio, derrete-las. Tem até quem as bebe.
Beijo.

Juliana Amado disse...

Isso foi apenas mais um poema,ou é um retrato da realidade?